VISION TOPO

Texto que regulamenta a reforma tributária entra na pauta da Câmara

A votação do texto que regulamenta a reforma tributária deve ser iniciada nesta quarta-feira (10), segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), em coletiva à imprensa nacional.

Por Vision News em 08/07/2024 às 23:11:06

A votação do texto que regulamenta a reforma tributária deve ser iniciada nesta quarta-feira (10), segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), em coletiva à imprensa nacional. O parlamentar espera que as bancadas possam se reunir para debater sobre as regras gerais de tributos criados sobre o consumo. Conforme antecipado, o grupo de trabalho responsável pela substituição do PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS após um período de transição (2026 a 2033), já apresentou seu parecer . Lira destacou que há um esforço dos relatores para diminuir a alíquota base de referência, prevista no texto original, de 26,5%. "Essa alíquota vale para mercadorias e serviços que não são beneficiados com algum tipo de tratamento diferenciado. É possível", ressaltou o deputado aos jornalistas. Lira também foi questionado sobre a possibilidade de inclusão de proteínas na cesta básica, isenta de alíquotas. Segundo ele, é preciso verificar o quanto a inclusão de carnes vai alterar a alíquota de referência. "Nunca houve proteína na cesta básica, mas se couber, temos que ver quanto vai ser essa alíquota que todo mundo vai pagar", disse. O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sugeriu a inclusão de carnes com cortes menos nobres na cesta básica durante entrevista na semana passada. Mas Lira disse que o cashback pode ser uma medida mais efetiva para a população de baixa renda. "A maior importância nesse sentido é manter e aumentar o cashback para as pessoas do CadÚnico com relação a serviços essenciais, por exemplo. Terá um efeito muito maior do que incluir a carne na cesta básica", finalizou o parlamentar. A nova cesta básica com isenção de impostos inclui itens como arroz, feijão, manteiga e café. No entanto, as carnes pagarão 60% a menos de impostos, permanecendo fora da lista de produtos com alíquota zero. Absorventes higiênicos, tampões, calcinhas absorventes e coletores menstruais foram incluídos na lista de produtos com isenção total de impostos. Antes, esses produtos teriam uma redução de 60% nos impostos, mas agora, não pagarão nenhum imposto. Os carros elétricos e as apostas foram incluídos no "imposto do pecado", que prevê uma alíquota seletiva maior para bens considerados prejudiciais à saúde ou ao meio ambiente. A inclusão dos carros elétricos se justifica pelo impacto ambiental negativo das baterias de lítio utilizadas nesses veículos. Receba as principais notícias do Estado no WhatsApp. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nas redes sociais .

Fonte: Campo Grande News

Comunicar erro
Madeireira Destak

Comentários

MAYFA