VISION TOPO

Ministério vai usar fêmeas de Aedes aegypti com larvicida para combater dengue

O Ministério da Saúde emitiu, na tarde desta segunda-feira (8), nota técnica que oficializa o uso de fêmeas do mosquito Aedes aegypti em estações de larvicidas como estratégia nacional de controle do vetor responsável pela dengue.

Por Vision News em 09/07/2024 às 00:49:21

O Ministério da Saúde emitiu, na tarde desta segunda-feira (8), nota técnica que oficializa o uso de fêmeas do mosquito Aedes aegypti em estações de larvicidas como estratégia nacional de controle do vetor responsável pela dengue. O objetivo, segundo a pasta, é reproduzir um estudo desenvolvido pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) na Amazônia. As estações disseminadoras utilizam a fêmea do mosquito como aliada na dispersão de larvicida, capaz de impedir a proliferação dos focos do transmissor da dengue, zika e chikungunya. A armadilha, que utiliza água em um pote plástico de dois litros recoberto por um tecido sintético impregnado de larvicida, atrai as fêmeas do vetor para colocar ovos e ao pousar elas se impregnam com o larvicida presente nas estações. Essas fêmeas, impregnadas com larvicida, ao visitarem outros criadouros acabam contaminando outros recipientes com o inseticida, o que impede o desenvolvimento das larvas e pupas, reduzindo a infestação e, por conseguinte, o avanço da doença. Nas estações, as micropartículas do larvicida em pó aderem-se ao corpo do mosquito. Como as fêmeas visitam muitos criadouros para colocar poucos ovos em cada um, elas disseminam o larvicida para esses criadouros, em um raio aproximado que pode variar entre 3 e 400 metros. "Quando as fêmeas pousam nos reservatórios para realizar a postura de ovos, ocorre a contaminação da água por meio das partículas dos inseticidas deixadas pelas fêmeas. Desta forma, a água dos criadouros passa a ter o potencial de interferir no desenvolvimento das larvas", justifica a Fiocruz. A estratégia já foi testada e aprovada com resultados comprovados em 14 cidades brasileiras, de diferentes regiões do país. A nota técnica explica que o Ministério da Saúde tem fomentado e acompanhado o desenvolvimento de novas estratégias para vigilância entomológica e controle do vetor. Receba as principais notícias do Estado no WhatsApp. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nas redes sociais .

Fonte: Campo Grande News

Comunicar erro
Madeireira Destak

Comentários

MAYFA